Skip to main content

Posts

Showing posts from October, 2016

Zeros à esquerda

Uma das observações mais intrigantes quanto aos políticos de esquerda é a diminuta posição patrimonial que insistentemente declaram à Justiça Eleitoral. Este ano, na eleição municipal do Rio de Janeiro, houve alguns representantes importantes desta trupe: Molon - antes de herdar alguns bens – reportava R$ 26 mil enquanto Freixo informa a quantia de R$ 5 mil.
Ora, um cidadão que ganha salário mínimo e consegue, após certo tempo, acumular R$ 5 mil, ou R$ 26 mil, é um herói. Ele mostra disciplina orçamentária e diligência em seus investimentos. Em contrapartida, é muito curioso que um parlamentar com salário mensal de R$ 20 mil (ou mais) além de incontáveis ajudas de custo chegue ao final de vários mandatos (ou mesmo de meio mandato) com um patrimônio tão pequeno...
Há algumas hipóteses não-excludentes a serem consideradas para explicar este fenômeno:
A declaração à Justiça Eleitoral não ser fidedignaO sujeito ser um gastador patológicoO sujeito ser um péssimo investidor de suas reservasO s…

Na sala de aula

Escola e classe hipotéticas. Professor, infelizmente, baseado em fatos reais. Aula de História em algum lugar do Brasil.
— Bom dia, turma. Hoje vamos falar sobre democracia, um conceito que nasceu na Grécia Antiga e...
— Professor – interrompe um aluno – Se é um conceito tão antigo, por que vamos estudá-lo? Estamos no século XXI...
— Boa pergunta. Ideias boas, como as de Marx e outros, mesmo que antigas, devem ser bem entendidas para, então, ser colocadas em prática. No caso em pauta, é importante estudar o que é democracia para entendermos bem o golpe de estado que ocorreu no Brasil este ano. Vejam que...
— Professor, Marx não é aquele escritor que pregava a socialização dos meios de produção?
— É sim – completou outro aluno – E as ideias dele nunca deram certo. Nem em Cuba, nem na Venezuela e nem na Coréia do Norte, só levaram a sofrimento, miséria e atraso. E tem mais...
— Silêncio – interrompe “democraticamente” o professor. O assunto que vamos estudar hoje é democracia. Vamos nos ater …

Cheirinho de hepta

O cheirinho de hepta está no ar... Não, ele não se dissipou depois do empate do Flamengo com o São Paulo. Na verdade, o cheirinho ficou mais forte no último fim de semana.
É o cheiro do hepta da cidade do Rio de Janeiro! O heptacampeonato depior eleitorado das galáxias. Um povo demente que não entende que as escolhas de hoje terão consequências por vários amanhãs. Um bando de desmiolados que gosta de politizar até eleição de síndico e comodoro. Uma cidade que, mesmo passados 56 anos, ainda tem ranço de ser ex-capital.
Exagero? Então vejamos o rol de títulos.
O estado, com expressiva ajuda dos cariocas, elegeu Garotinho em 1998, Garotinha em 2002, e Cabralzinho duas vezes, em 2006 e 2010. Para a prefeitura, a cidade conseguiu façanhas à altura, escolhendo Saturnino em 1985 e Benedita em 1992. Somos hexa!
(Pausa: nem se computa aqui o bicampeonato do desastroso Leonel Brizola para não “bater em morto”)
E agora com Freixo temos a chance de levar o hepta. Já pensaram? Marcelo Freixo, um candid…